Loading
Busca
Editar

Editar

Contribua

 
EditarExcluir
Editar página/adicionar conteúdo
 

Três Seguimentos do Ser Humano

Criação, Queda e Redenção

EditarSubirDescerExcluir
Bloco de texto
 


TRÊS SEGUIMENTOS DO SER HUMANO

CRIAÇÃO, QUEDA E REDENÇÃO


            Este trabalho tem por objetivo, atender à exigência do professor, Wilson do Amaral Filho, professor da Cadeira de História e Teologia da Educação Cristã, da Universidade Presbiteriana Mackenzie/SP, apresentando a descrição, apoiada nas Escrituras Sagradas, de três segmentos do ser humano, a saber: CRIAÇÃO, QUEDA E REDENÇÃO, e expor em cada seguimento, como era o homem nas seguintes áreas: em sua existência Biológica, Psicológica, Moral, Espiritual, Social, Cultural e Teológica.


1)  A CRIAÇÃO DO SER HUMANO


Fundamentação bíblica: Gên.1:26-31; Apoc.4:11

A CRIAÇÃO do ser humano foi um ato de desafio de Deus a si mesmo; foi o Conselho das três pessoas da trindade, o Conselho de Deus com os anjos, à imagem e semelhança de Deus. Com isso, o homem é a coroa da criação de Deus. Pois nenhum outro ser criado, de acordo com as Escrituras, leva a imagem e semelhança do seu criador, somente o ser humano.

 

a)   BIOLÓGICO:

Na criação, Deus criou o homem biologicamente perfeito. O homem estava livre de todos os transtornos e sofrimentos físicos. O ser humano estava livre até do envelhecimento e da morte física. Não havia doença ou praga alguma, havia harmonia perfeita. Isso é maravilhoso. Esse aspecto biológico no homem é a relação com o ambiente físico. O homem recebeu de Deus a responsabilidade pela multiplicação da espécie (Gên.1:26-28,31); O trabalho braçal era sem cansaço: podia cultivar e guardar o jardim.

 

b)   PSICOLÓGICO:

Como teólogo e psicanalista, posso afirmar com base nas Escrituras, especialmente na Criação, em Gênesis 1, que o homem não é apenas um complexo orgânico. Por causa de sua semelhança com o seu Criador manifestada pelos seus reflexos podemos dizer que o homem é um organismo capaz de reações mais elaboradas até o grande mistério da expressão da vontade. Sua mente era limpa (não havia maldade); é um ser pensante. Por causa de sua consciência e pensamentos, o homem tem emoções saudáveis, sentimento e vontades não adulterados nesse momento. Esse aspecto psicológico no homem tem haver com o ser disponível à relação com seu semelhante.

 

c)    MORAL:

 Essa foi a capacidade de ser humano, comunicando-se com o seu semelhante. Diz respeito a nossa responsabilidade na relação com o outro. Foi a liberdade que Deus deu ao homem de obedecer de modo consciente, racional, diferente dos outros seres (Gên.2:15-17); liberdade e competência para usar a inteligência com idoneidade (Gên.2:19,20). O homem não se aproveita de uma necessidade real para roubar, matar e prejudicar seu semelhante. Mas, ele faz a si mesmo ponderações sobre a conveniência e dignidade de seus atos.

 

d)   ESPIRITUAL:

O homem tinha total acesso à presença de Deus e de conversar pessoalmente com Deus (Gên.3:8-10); tinha liberdade (livre arbítrio) para interpretar e escolher entre o bem e o mal, a vida e a morte: (Gên. 3:3,6); Tinha liberdade do medo, da dor física, do risco da morte e da instabilidade relacional com o semelhante (Gên.3:16). Essa espiritualidade lhe permitia ter afinidade com a natureza e vida saudável permanente condicionada à obediência ao Criador (Gên.3:17-19).

 

e)   SOCIAL:

Desde a criação o homem foi criado para viver com seus semelhantes. Ninguém é absolutamente só. Até na expressão de Jesus em Mateus 28:20, detectamos essa realidade e verdade, quando Jesus disse aos seus discípulos “E eis que estou convosco todos os dias até a consumação dos séculos”, e Jesus repetiu isso em João 14:1-3. A nossa humanidade só é encontrada quando somos postos em contato com a sociedade: na linguagem, no trato, nas aspirações, no exercício da responsabilidade, superando em tudo, e com rapidez, ao animal amestrado, como disse o Dr. Júlio Andrade Ferreira.  

 

f)     CULTURAL:

O ser cultural na minha visão será sempre consequência do ser social. Não existe cultura sem um grupo participando ativamente e completando um ao outro. Pois, entendo que é pelo relacionamento que as ideias culturais vão surgindo e se formando e transformando naquilo que chamamos de cultura: artes, crenças, leis, costumes etc. Na criação tudo era puro, até a cultura, os costumes e hábitos do ser humano.

 

g)   TEOLÓGICO:

A Bíblia, desde o início expressa que o ser humano é a imagem de Deus. É o Tu do grande Eu Criador. Como disse Santo Agostinho: Meu ser foi criado para Ti e não descansará enquanto não descansar em Ti. Também, no Salmo 8, o salmista começa por contrastar a dignidade do homem com a realidade cósmica, embora grandiosa, mostra seu domínio sobre a natureza e aponta, por seu intermédio, a grandeza de Deus. Na criação do homem, Deus visou a sua própria glória. Isso é Teologia Pura.

  

2)   A QUEDA DO SER HUMANO


Fundamentação bíblica: O homem foi responsabilizado pela entrada do pecado no mundo, conforme Romanos 5:12. Queda significa primariamente afastamento ou separação de Deus. A queda se deu em relação a Deus e ao Seu propósito para o ser humano, como coroa da criação. O homem, por causa de sua desobediência e queda, perdeu o livre arbítrio.

 

a)  a)   BIOLÓGICO:


Aquele homem biologicamente perfeito, agora já não existe mais. O homem não está mais livre de todos os transtornos e sofrimentos físicos. Pelo contrário, agora ele é vítima deles e o principal culpado por isso. O ser humano está sujeito ao envelhecimento e a morte física. Agora há doença e toda sorte de praga, não há mais harmonia perfeita. O ambiente físico ficou de todo prejudicado. O seu trabalho braçal agora é fatídico, o homem passou a conhecer o cansaço: não podia mais cultivar e guardar o jardim. Foi expulso e passou a sofrer as consequências do seu pecado no corpo (Gên.3:16-19,23,24).

 

b)   PSICOLÓGICO:

Por causa de seu pecado o homem corrompeu essa imagem e semelhança com o seu criador. Sua mente já não é limpa (agora, há maldade); O ser pensante, ficou psicologicamente depravado, totalmente (Gên.3:7-10). Suas emoções, sentimento e vontade, adoeceram. Seus pensamentos são todos para o mal, tornou-se totalmente inclinado a pensar e fazer o que é errado (Rm.7:15-24-a luta interior do apóstolo Paulo; Col.3 – somos exortados a pensar nas coisas lá do alto; Luta contra a ansiedade que é gerada pelos pensamentos, Filp.4:4-8); Trouxe nulidade de raciocínio quanto ao verdadeiro sentido da vida proposto por Deus, conforme Rm.1:19; 3:10,11.

 

c)    MORAL:

 Desenvolve-se aqui, tendências pecaminosas (Rm.1:24-31). Houve problema com a comunicação com o seu semelhante. A nossa responsabilidade na relação com o outro foi prejudicada. A liberdade que Deus deu ao homem de obedecer de modo consciente, racional, diferente dos outros seres, foi perdida (Gên.2:15-17); A liberdade e a competência para usar a inteligência com idoneidade (Gên.2:19,20) já não existe. O homem agora, se aproveita de uma necessidade real para roubar, matar e prejudicar seu semelhante. Não faz a si mesmo ponderações sobre a conveniência e dignidade de seus atos. Pensa antes em si mesmo.

 

d)   ESPIRITUAL:

O homem que tinha total acesso à presença de Deus e de conversar pessoalmente com Deus (Gên.3:8-10); que tinha liberdade (livre arbítrio) para interpretar e escolher entre o bem e o mal, a vida e a morte: (Gên. 3:3,6); Tinha liberdade do medo, da dor física, do risco da morte e da instabilidade relacional com o semelhante (Gên.3:16). Essa espiritualidade que lhe permitia ter afinidade com a natureza e vida saudável permanente condicionada à obediência ao Criador (Gên.3:17-19). ACABOU com a Queda. Passou de livre a escravo. Escravo do pecado e de suas paixões. Rm.3:23 – o homem que era participante da glória de Deus, agora dela, carece. Morreu (Rm.6:23a “Porque o salário do pecado é a morte”).

 

e)   SOCIAL:

O pecado prejudicou o seu relacionamento com seus semelhantes. Imediatamente ao ato de desobediência, o homem e a mulher começaram a se esconder de Deus, Gên.3:8 (“esconderam-se da presença de Deus). A vida antissocial começou aí. Pois, quem se esconde de Deus a quem não vê, certamente se esconde de seu semelhante a quem vê. Eu disse que a nossa humanidade só é encontrada quando somos postos em contato com a sociedade: na linguagem, no trato, nas aspirações, no exercício da responsabilidade, superando em tudo, e com rapidez, ao animal amestrado, como disse o Dr. Júlio Andrade Ferreira, só que agora, o homem tornou-se pior do que o irracional.    

 

f)     CULTURAL:

O ser cultural como consequência do ser social, agora também ficou contaminado pelo pecado. A cultura tornou-se um meio de propagação da leviandade, da maldade, da falta de respeito de uns para com os outros. Uma vez que as ideias culturais vão surgindo e se formando e se transformando naquilo que chamamos de cultura, o que serviria para edificar e aproximar, traz agora os traços do pecado que contamina, deturpa, corrompe e destrói a sociedade distanciando o homem. Fato é que a Bíblia, o ensino religioso foi tirado das escolas. A palavra de Deus para o homem pecador, não é cultura.

 

g)   TEOLÓGICO:

O homem caído sempre desprezará o conhecimento de Deus, conforme Paulo nos apresenta em Romanos 1:28-32, pois esse conhecimento sempre irá contradizer e combater suas práticas perniciosas, levianas e sensuais. O Tu do grande Eu Criador, agora se transformou apenas no “eu”, “eu somente comando a minha vida”. O ser que foi criado para o Ti, agora se encontra numa luta tremenda para voltar a descansar no seu Criador. Na criação do homem, Deus visou a sua própria glória. Mas, a serpente, ou Diabo, enganou o ser humano, e o distanciou de seu Criador.

  

3)   A REDENÇÃO DO SER HUMANO

Fundamentação bíblica: Gên. 3:15; Gl.3:16; 4:4; Ef.2:1,8,9; Is.43:13;

     A iniciativa da volta do ser humano para Deus é do próprio Deus Criador. Aqui temos o Plano Educacional Divino. Deus trazendo o homem de volta para casa. Produzindo arrependimento no coração do homem para o seu retorno, conforme aprendemos com Davi, no Salmo 51. Deus devolveu ao homem a capacidade de aprender novamente a Sua Vontade para o retorno aos Seus braços.

 

a)   BIOLÓGICO:

Aqui temos a volta ao começo. A redenção em Cristo Jesus veio para restaurar também o corpo. I Co. 6:13. Em Salmos 16.9 encontramos a seguinte expressão: “Alegra-se, pois, o meu coração, e o meu espírito exulta; até o meu corpo repousará seguro” e em Atos dos Apóstolos 2.26 “Por isso, se alegrou o meu coração, e a minha língua exultou; além disto, também a minha própria carne repousará em esperança,” Paulo também diz em 1 Tessalonicenses 5.23 “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.” O nosso corpo se torna templo do Espírito Santo (I Co.3:16,17; 6:19). E a própria criação (natureza) também aguarda o dia de sua redenção: Rm.8:18-24.

 

b)   PSICOLÓGICO:

Na redenção, passamos a ter “a mente de Cristo” I Co. 2:16. Assim, a mente humana é desafiada a voltar a pensar em coisas boas, verdadeiras, justas, puras, e juntamente com o louvor e virtudes, tudo isso deve ser o que tem que ocupar a mente (Filp.4:8; Col.3:1-3); somos desafiados a alimentar a mente com a Palavra de Deus para não andarmos ansiosos e sermos moderados no pensamento (Filp.4:5,6; Rm.12:3); para anular sofismas (II Co.10:3-6). Assim Deus nos ajuda como vencer os traumas causados pelo pecado, na mente, buscando uma renovação de mente (Rm.12:1-3).

 

c)    MORAL:

 As tendências pecaminosas que foram desenvolvidas como resultado do pecado (Rm.1:24-31), agora são combatidas por causa do princípio da nova vida em Cristo que foi implantado em nós. A nossa responsabilidade na relação com o outro é restaurada na redenção. O ser humano recebe novamente a capacidade de voltar a obedecer a Deus. O homem agora, quando se depara com uma necessidade real procura não supri-la de modo inconveniente. Ele agora entende que não pode mais furtar, como fazia Absalão (2 Samuel 15.6   Desta maneira fazia Absalão a todo o Israel que vinha ao rei para juízo e, assim, ele furtava o coração dos homens de Israel.). Agora, com a mente de Cristo, o ser humano quer ser moralmente curado e correto, de acordo com Efésios 4.28   Aquele que furtava não furte mais; antes, trabalhe, fazendo com as próprias mãos o que é bom, para que tenha com que acudir ao necessitado.)

 

d)   ESPIRITUAL:

O ser humano redimido por Cristo, volta a ter comunhão com o seu Criador, pois temos paz com Deus, novamente porque foi reconciliado em Cristo com Deus (Rm.5:1,2); espiritualmente o homem é nova criatura (II Co.5:17). Em Romanos 8:1,2 o apóstolo Paulo diz: “agora pois já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, porque a Lei do Espírito da vida em Cristo Jesus te livrou da lei do pecado e da morte. ” A vida foi devolvida ao espírito do homem em Cristo.

 

e)   SOCIAL:

Na Redenção, a Graça comum de Deus se manifesta e é dada ao ser humano na sua influência moral restringindo e castigando o pecado; mantendo a ordem e a moralidade na vida social do ser humano; promovendo a justiça social. Lembro-me das filhas de Zelofeade em Num.27:1-11, que reclamaram herança e foram atendidas; em I Sm.30:21-31 – Davi fez justiça aos duzentos que ficaram para trás, de cansados. Eles também receberam de tudo que tomaram de volta dos inimigos. Deus institui ordem (Rm.13:1,4).     

 

f)     CULTURAL:

A cultura é purificada pela Palavra de Deus. A cultura moderna precisa, sim, ser duramente criticada. As festas que Isaías fala no primeiro capítulo de seu livro; Jesus combateu a cultura de sua época, naquilo que feria a Palavra do Pai, quando expulsou os vendilhões do templo (Mt.21:12); Paulo em Atenas, em meio a todos aqueles altares, exaltou o altar do Deus vivo Atos 17:23; Os alimentos oferecidos aos ídolos não servem para a nossa cultura e nem as suas festas pagãs (I Co. 10).

 

g)   TEOLÓGICO:

O homem caído, agora é convidado ao arrependimento que gera vida para a eternidade. Deus quer que todos os homens cheguem ao arrependimento; e Ele, Deus, não tem prazer na morte do ímpio (Ezeq.18:23,32). A pergunta teológica que se deve fazer é: “Como pode o ser humano que não tem qualquer habilitação moral ou espiritual, responder ao chamado de Deus? A resposta está em Ezequiel 36:26 “ Dar-vos-ei coração novo, e porei dentro em vós espírito novo”. É o próprio Deus quem efetua essa mudança radical e difusa no ser humano. Numa só palavra, Filipenses 2.13 diz: “porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade. ”  O arrependimento é um dom de Deus (Atos “5.31   Deus, porém, com a sua destra, o exaltou a Príncipe e Salvador, a fim de conceder a Israel o arrependimento e a remissão de pecados. 11.18   E, ouvindo eles estas coisas, apaziguaram-se e glorificaram a Deus, dizendo: Logo, também aos gentios foi por Deus concedido o arrependimento para vida. ”)

  

CONSIDERAÇÕES FINAIS

 

     Esse trabalho teve por objetivo, apresentar uma descrição dos três seguimentos do ser humano, cada seguimento com suas próprias considerações:

     O ser Criado: como era a sua existência Biológica, Psicológica, Moral, Espiritual, Social, Cultural e Teológica;

     O ser Caído, sua Queda: como era a sua existência Biológica, Psicológica, Moral, Espiritual, Social, Cultural e Teológica; e

     O ser Redimido, sua Redenção: como era a sua existência Biológica, Psicológica, Moral, Espiritual, Social, Cultural e Teológica.

     Agradeço, imensamente ao amado e ilustre professor, Rev. Wilson do Amaral Filho, pela oportunidade, a mim, conferida, de ter eu, podido meditar sobre tais questões, de uma maneira mais profunda, que muito edificou a minha alma.

     Graças a Deus, que em Cristo Jesus, temos oportunidades para crescermos na Graça e no Conhecimento do nosso Senhor, a fim de que possamos esclarecer outras vidas.

 

 

Máximo Laudelino da Silva Filho

 

São Paulo, 12 de março de 2014.

 www.reverendomaximo.com.br

Nome


E-mail


Telefone


Endereço


Texto








 
Editar