Loading
Busca
Editar

Editar

Contribua

 
EditarExcluir
Editar página/adicionar conteúdo
 

Nosso Relacionamento com Deus

Pela confissão

EditarSubirDescerExcluir
Bloco de texto
 

3ª Parte: RELACIONAMENTO COM DEUS PELA CONFISSÃO

Versículo para decorar: “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.” (I Jo.1:9)

O HOMEM FOI CRIADO SANTO: Deus fez o homem santo, perfeito, revestido da Sua glória e semelhante a Ele. Fê-lo assim para ter comunhão com ele. Deu-lhe toda liberdade, mas pôs um limite: a árvore do conhecimento do bem e do mal. Disse-lhe que no dia em dela comesse, morreria. Morte significa separação. Perderia, portanto, a comunhão com o seu Criador. Por que Deus pôs um limite? Para provar a disposição do homem para obedecê-lO. O homem é um ser livre. Teria uma oportunidade de confirmar ou rejeitar seu estado de santidade e comunhão com Deus.

O HOMEM TORNOU-SE PECADOR: O homem lançou mão do seu direito de escolha e decidiu seguir seu próprio caminho. Tornou-se independente de Deus. Escolheu a morte, isto é, a separação de Deus. Preferiu dar ouvidos à voz do tentador. Rebelou-se contra o limite de Deus e se aliou a Satanás. Tornou-se um pecador, isto é, um transgressor dos limites, dos mandamentos de Deus.

CONSEQUÊNCIAS DA REBELIÃO CONTRA DEUS: Entre outras coisas, o homem teve que amargar as consequências de sua escolha insensata. Foi afetado em todo o seu ser pela natureza daquele a quem obedeceu: Satanás. Resultado:

1) Seu corpo ficou sujeito à fraqueza, velhice, doença e morte;

2) Seu caráter sofreu degeneração moral;

3) Seu espírito ficou separado de Deus, morreu;

4) Rompeu seu relacionamento com Deus e foi se afundando cada vez mais fundo no pecado, que é rebelião contra Deus.

Todos os filhos do homem nascem com a natureza rebelde do pecado. Cada semente produz de acordo com sua espécie. Se Adão tivesse escolhido confirmar seu estado de santidade e comunhão com Deus, teria enchido a terra de descendentes que seriam igualmente santos. Com sua escolha, porém, encheu o planeta de filhos rebeldes e pecadores, como ele.

Já nascemos com uma natureza pecaminosa (Sl.51:5). É mais fácil praticar o mal. João declara: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós. Se dissermos que não temos cometido pecado, fazemo-lO mentiroso, e a sua palavra não está em nós.” (I Jo.1:8,10).

O PECADO SEPARA O HOMEM DE DEUS: A Bíblia é enfática, ao dizer: “Pois todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.”(Rm.3:23). No pecado, o espírito do homem foi o primeiro a morrer. O relacionamento com Deus foi interrompido, e as trevas o dominaram. O homem, separado de Deus, passou a ter comunhão:

a) Com o pecado; que corrompe, com seus apetites escravizantes;

b) Com o mundo, que escravisa com seus prazeres passageiros;

c) Com o Diabo que, depois de iludir com seus enganos, destrói e mata.

O PECADO DEVE SER RECONHECIDO: O reconhecimento de que eu sou pecador e, portanto, estou separado de Deus, sujeito a todas as consequências do pecado, depende do meu reconhecimento de que Deus é Deus, o meu Criador, logo, o meu Senhor. Se Ele é Deus, Senhor, e eu sou criação, obra das Suas mãos, compete a Ele determinar como devo viver para desfrutar de todo o propósito para o qual Ele me criou.

* Como saber o que Ele quer de mim? Muito simples: Ele se tem revelado; tem se dado a conhecer: “Havendo Deus, outrora, falado, muitas vezes e de muitas maneiras, aos pais, pelos profetas, nestes últimos dias, nos falou pelo Filho, a quem constituiu herdeiro de todas as coisas, pelo qual também fez o universo.

* Ele, que é o resplendor da glória e a expressão exata do seu Ser, sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, depois de ter feito a purificação dos pecados, assentou-se à direita da Magestade, nas alturas” (Heb.1:1-3);

* Que maravilha! Meu Criador não me deixou entregue à minha própria sorte, apesar da minha ingratidão e rebelião contra Ele, me amou, e me escolheu. Ele tem falado. Falou pelos profetas! Falou por Jesus, que é o reflexo dEle mesmo. Posso saber quem é meu Deus, como Ele é, o que é o pecado, como me livrar dele, conhecer a vontade do meu Senhor para minha vida. Sua vontade é boa, perfeita, agradável (Rm.12:2).

A BÍBLIA SAGRADA É FONTE DE REVELAÇÃO DE DEUS:

* Deus foi tão maravilhoso, que inspirou Seus servos a escreverem em minha linguagem, em forma de livro, Sua revelação: a Bíblia Sagrada. Nela, encontro mandamentos, promessas, princípios, os termos da aliança que Ele quer estabelecer comigo.

* A Bíblia é como um espelho. Quando a leio, vejo-me como de fato sou, aos olhos de Deus, através do que nela está escrito. Quanto mais leio, medito nela, mais O conheço. Quanto mais O conheço, mais percebo o quão distante estou do Seu plano original para minha vida. Só consigo dizer como Paulo: “Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Rm.7:24).

* Mas é aí que, de repente, um lampejo de revelação divina entra no meu coração, move minhas entranhas e, comovido exclamo: “Graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor”. (Rm.7:25).

O PECADO DEVE SER CONFESSADO:

  • O que fazer agora? Convencido de que Deus é santo; de que tenho transgredido Seus mandamentos; de que o “salário do pecado é a morte” (separação), só me resta valer-me de Sua oferta de amor, misericórdia e graça: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I Jo.1:9).
  • Confessar significa “concordar com Deus”. Primeiro, concordar que o que a Bíblia chama de pecado ou transgressão contra os mandamentos de Deus, é pecado. Em segundo lugar, concordar com Deus quanto à solução do problema do pecado:
  • Exemplo de Davi
  1. Arrependimento, que é uma dor profunda por haver ofendido a santidade de Deus. Um “Ai! Estou sofrendo! Estou envergonhado! Sinto muito, Senhor”.
  2. Confissão, que é abrir meu coração diante de Deus e declarar tudo quanto tenho feito contrário à Sua vontade em minha vida. Um “Errei! Ofendi o Teu coração! Pequei, Senhor! Não merecias isso de mim!”
  3. Pedido de Perdão, que é minha oração humilde, clamando pela Sua misericórdia. Um “Por amor de Ti mesmo e da Tua misericórdia; pelo sacrifício, de Jesus, meu Senhor, em meu lugar, perdoa-me, ó Pai de amor!”

A Bíblia conta um incidente muito triste na vida de Davi. Seu pecado de adultério. A princípio ele tentou ocultá-lo, até que a palavra de Deus, por boca do profeta Natã, despertou a sua consciência e, arrependido, ele confessou sua transgressão. Ele testifica como é terrível guardar o pecado sem confessá-lo: “Enquanto calei os meus pecados, envelheceram os meus ossos pelos meus constantes gemidos todo o dia. Porque a tua mão pesava dia e noite sobre mim, e o meu vigor se tornou em sequidão de estio. Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei. Disse: confessarei ao SENHOR as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado”. Sl.32:3-5.

A confissão de Davi está registrada no Salmo 51. Leia todo o Salmo em sua Bíblia. Este é um exemplo a ser seguido numa confissão verdadeira: “Compadece-te de mim, ó Deus, segundo a tua benignidade; e, segundo a multidão das tuas misericórdias, apaga as minhas transgressões. Lava-me completamente da minha iniquidade e purifica-me do meu pecado. Pois eu conheço as minhas transgressões, e o meu pecado está sempre diante de mim. Pequei contra ti, contra ti somente, e fiz o que é mal perante os teus olhos, de maneira que serás tido por justo no teu falar e puro no teu julgar. Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe. Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro em mim um espírito inabalável”. (Sl.51:1-5,10).

4. Finalmente, depois de confessar seus pecados, concordade com Deus que você foi perdoado, de acordo com a promessa. Faça como Davi. O Salmo 32 foi escrito depois do Salmo 51. Ele declara: “Tu perdoaste a culpa do meu pecado.” Bem aventurado aquele cuja iniquidade é perdoada, cujo pecado é coberto. Bem-aventurado o homem a quem o SENHOR não atribui iniquidade e em cujo espírito não há dolo”. Salmo 32:1,2.

TAREFAS:

a) Memorização – Decore I Jo.1:9;

b) Leitura da Bíblia – Leia diariamente a Bíblia, especialmente nos evangelhos;

c) Confissão – Examine sua vida em oração e confesse a Deus tudo quanto o Espírito Santo trouxer à sua lembrança. Peça perdão e receba a purificação do sangue de Jesus.

Rev. Máximo Laudelino da Silva Filho.







 
Editar